Gotemburgo recebe o primeiro camião elétrico

Gotemburgo, a casa da Volvo Trucks, tem ambições elevadas ao nível da sustentabilidade. Este ano, a cidade recebe o primeiro camião integralmente elétrico, dando um pequeno passo, mas um passo importante, no sentido de eletrificação dos transportes comerciais da cidade. Mas o que se passou nos bastidores para colocar o primeiro camião elétrico nas ruas de Gotemburgo?

Pôr do sol em Gotemburgo.

"Na primavera de 2016, foi-nos pedido pelo departamento de águas e resíduos sustentáveis da cidade que analisássemos a possibilidade de desenvolver um camião de recolha de resíduos complemente elétrico. O objetivo era utilizar esse camião num projeto para perceber como transportes mais inteligentes e sustentáveis podem contribuir para um ambiente urbano mais atrativo", diz Jonas Odermalm, Líder de Estratégia de Produtos do Volvo FL e Volvo FE na Volvo Trucks. 

Foi o início de uma cooperação intensa entre a cidade de Gotemburgo, a Volvo Trucks, a JOAB e a Renova. Nos respetivos papeis como cliente, construtor de veículos, construtor de superestruturas e operador, os quatro trabalharam em estreita colaboração.  

"Começámos por analisar o percurso que o camião elétrico de recolha de resíduos iria percorrer e a configuração dos veículos atualmente utilizados nesse percurso. Qual a distância percorrida, a velocidade máxima que atingem, qual a carga máxima que transportam, quantas paragens fazem por turno, a estrada é inclinada ou plana?", explica Jonas Odermalm.

Analisando e agrupando diversos fatores diferentes, o projeto recebeu dados sobre a especificação com a qual o camião seria concebido. Um peso bruto do veículo pretendido de 19 toneladas com uma capacidade de carga de 5 toneladas e um percurso diário entre 60 e 70 quilómetros, com 128 paragens para recolha de resíduos pelo caminho. Foram estes os parâmetros para calcular o consumo de energia esperado para o veículo. Dado que se trata de um camião de recolha de resíduos, o consumo de energia da carroçaria/unidade de compactação também tinha de ser considerada.  

Depois de determinar as necessidades energéticas e as condições do tráfego, a equipa de desenvolvimento analisou com maior detalhe várias alternativas de fornecimento de energia. Ter um grande número de baterias a bordo permitiria ter uma grande autonomia, mas também teria um impacto negativo ao nível da capacidade de carga do veículo. Ter menos baterias permitiria uma maior capacidade de carga, mas o veículo teria de ser carregado com mais frequência. 

"Haveria necessidade de carregamentos rápidos durante o percurso ou seria suficiente carregar as baterias de um dia para o outro? Estudámos várias alternativas antes de tomar uma decisão final", diz Hayder Wokil, o principal responsável pela participação da Volvo Trucks. 

A solução é um veículo com três baterias e uma capacidade de armazenamento de energia de chega aos 150 kWh, o que é suficiente para um turno completo sem carregamentos adicionais. E dado que os camiões de recolha de resíduos só são utilizados durante o dia, foi tomada a decisão de os carregar durante a noite através da rede elétrica normal.  

No início do verão de 2017, o camião de recolha de resíduos foi construído com base num chassis Volvo FL. A linha motriz elétrica foi instalada, sendo a cabina e o chassis adaptados à nova tecnologia. Depois de seis meses de trabalho de desenvolvimento e otimização, o camião de recolha de resíduos recebeu uma carroçaria no início de 2018. Será agora alvo de um processo de afinação e certificação, juntamente com formação de motoristas e mecânicos, antes de começar a trabalhar normalmente nas ruas de Gotemburgo, com os motoristas da Renova ao volante. 

Artigos relacionados